Archive for the ‘Resenhas’ Category

Discarga – Música pra Guerra

novembro 8, 2008

discarga1Discarga – Música pra Guerra
(Six Two Five, Läjä Rakord’s e Karasu Killer – 2008)

Quem conhece esse trio já sabe que música curta é a receita musical deles. Mas isso não significa poucas notas e pobreza sonora, ao contrário, a concisão sonora faz com que chegue aos nossos ouvidos, num curto espaço de tempo, canções recheadas de referências musicais (Lärm, Seein’ Red …), peso e acidez. É fastcore contestador e catártico, com a guitarra urgente e o baixo pontuando com peso e rapidez as letras politizadas.
Música pra Guerra é um daqueles álbuns pra se ouvir num só fôlego. O trio tira a venda dos olhos de quem não quer ver a realidade diária de um mundo deturpado e pobre culturalmente. As baquetadas de Nino parecem dizer: levante-se e faça algo, mas seja rápido porque não há tempo. É música pra guerrear, guerrear contra padrões e estilos, como diz a música “Somente mais um número”: ‘está na hora de acordar, não há tempo pra abstenção, temos urgência em nossas necessidades’.
São 17 músicas e mais 3 minutos e 8 segundos de bônus, ou seja, as seis músicas do split com Hzero coladas uma na outra.
Audição altamente recomendável!

Contatos:
www.myspace.com/discarga
discarga@bol.com.br

Por Deise Santos

Anúncios

Nuestro Sangre – Massacrados pela ganância… esmagados pela miséria

novembro 8, 2008

Nuestro Sangre – Massacrados pela ganância… esmagados pela miséria
(Contra Ponto e Necrose Música – 2008)

Hardcore cru e direto. A banda vem com energia pura e concentrada para bradar e protestar contra as injustiças sociais e o preconceito. A sonoridade da banda em muita lembra Ratos de Porão, inclusive o vocal. A bateria precisa e rápida garante o peso e a cadência necessários ao hardcore e é acompanhada com fúria pela guitarra e pelo baixo, que dão o tom para que Fábio consteste e proteste a nova e a velha ordem mundial em vocais agressivos, mas claros e audíveis. São 4 músicas que passam como um meteoro até que a última música do álbum, “Pay-per-view de Satã”, é interrompida pelo áudio de uma matéria televisiva sobre o hezzbolah. Num primeiro instante pode ser interessante ouvir a matéria, mas ter este bônus acoplado à última música, mesmo que os dois elementos tenham ligação direta, limitou o som. Imagine ter que dar stop ou ouvir essa matéria toda vez que for ouvir o álbum?
Vale a audição, porque a banda tem qualidade e identidade sonora.

Contatos:
nuestrosangre@gmail.com
www.myspace.com/nuestrosangre

Por Deise Santos

Chá pra doido – Sistema Falido

novembro 8, 2008

Chá pra doido – Sistema Falido
(Independente – 2007)

A vinheta – nada mais do que a introdução da voz do Brasil – que abre o CD já dá o tom do que iremos encontrar no decorrer deste álbum: contestação em letras que falam do cotidiano recheado de violência e mazelas sócio-políticas.
A agressão ao poder público está presente em todo o álbum, desde o nome do álbum “Sistema Falido”, passando pela arte da capa que mostra uma imagem do congresso nacional sendo atingido por aviões (numa alusão às torres gêmeas) e chegando aos sons, agressivos sonora e textualmente falando.
A produção independente traz 10 sons, encharcados de referências de thrash , hardcore e punk rock, entre eles 4 bônus ao vivo. As duas guitarras dão mais peso ainda às palavras berradas pelo vocalista Mariéte, seja na faixa-título “Sistema Falido” ou na descontraída “Prefiro um Mendigão”.
A banda da Baixada Fluminense só pecou num aspecto e talvez tenha sido por ser uma produção independente, o encarte só traz a letra de duas músicas.

Contatos:
http://www.myspace.com/chapradoido
http://www.fotolog.com/cxpxpdx

Por Deise Santos

Destrukcija Stvarnosti/ S.M.H. – War, pain and madness…

outubro 21, 2008

Destrukcija Stvarnosti/ S.M.H. – War, pain and madness…
(Pemba Records/ Two Beers or not To Beers/ Armadillo Records – 2008 – Split/CD)

Croácia e Zona Oeste carioca, unidas na paixão pelo barulho. São 28 faixas neste split, dividido em 20 sons dos croatas e 8 dos cariocas. A qualidade sonora do álbum é ótima. Power violence talvez seja a forma mais acertada para definir o que você encontrará ouvindo esse álbum. O trio Destrukcija Stvarnosti surpreende pela precisão e pelo peso impresso em suas canções e a bateria é um capitulo à parte. O pessoal do S.M.H. (Seu Mundo Hoje) chega com o som “Escravos da Moda” mostrando o quanto a banda vem crescendo musicalmente e colocando em prática o que se propõem a fazer: hardcore rápido e direto, são 8 músicas tocadas em poucos mais de 6 minutos. A capa e a contracapa estão muito boas, mas eles pecaram no encarte, a escolha das imagens de fundo e das cores das fontes dificultam a leitura das informações sobre as duas bandas, além de não conter as letras das músicas.

Contatos:
www.myspace.com/dscore
www.myspace.com/seumundohoje

Deise Santos

SUBCUT – Contra fatos não há argumentos

outubro 21, 2008

SUBCUT – Contra fatos não há argumentos
(Cut Throat Discos/ Terrötten Records – 2008 – CD)

Full-length debut do power trio SUBCUT. Um dos álbuns mais esperados na cena grindcore brasileira e que fez jus a toda demora que envolveu essa produção. Como o álbum foi gravado em meio a mudanças na formação da banda, o representante das 4 cordas – André Souza – gravou a maioria das guitarras e baixos, exceto em 7 faixas gravadas pelo antigo baixista, Augusto Rena. Porradaria sonora para o deleite dos amantes do grindcore, espalhada em 20 faixas que passam ligeiras, agressivas e pesadas. As letras criticam o sistema e abordam as crises sociais tão latentes no cenário brasileiro atualmente. Inserções de vozes que comentam e criticam a atual situação brasileira, junto com os vocais agressivos e toda a atmosfera criada pelas composições, fazem desse álbum um título indispensável na estante de quem curte o estilo. Destaque para as músicas “O espantalho agora ri”, “Últimos minutos de consciência” e “Nenhuma dor é maior do que relembrar os dias felizes na miséria”.

Contatos:
www.myspace.com/subcut
subcutgrindcore@hotmail.com

Deise Santos

Força Macabra – Aqui é o Inferno

outubro 1, 2008

Força Macabra – Aqui é o Inferno
(Agipunk – 2008 – CD)

Uma banda de thrashcore da Finlândia com letras em português? Sim. Pra muitos não é mais novidade, mas não custa lembrar aqui que esse quarteto da longínqua Finlândia foi influenciado por uma certa banda carioca, chamada Dorsal Atlântica e mais algumas tantas da terra brasilis. O novo álbum, assim como os outros, vem recheado de tais influências e soa como uma entrada no túnel do tempo. É como se tirássemos algum vinil empoeirado do armário e resolvesse ouvir. Mas isso não quer dizer que as 13 músicas que compõe este álbum, gravado pela Sonic Pump Studios, de Helsinki, não tenha lá sua originalidade. O fato de levarem as músicas em português, cada vez mais afiado e compreensível, já vale a bolachinha. Destaque para as faixas “Esfera Metal” e “Filhos da Tormenta” e, também, para a arte do álbum, feita pelo artista japonês Sugi.

Contatos:
www.agipunk.com

Por Deise Santos

DFC e Presto? – Inferno na Terra

outubro 1, 2008

DFC e Presto? – Inferno na Terra
(Pecúlio Discos – 2008 – Split/CD)

Como ter um split com 30 músicas e quase 34 minutos para a execução de tais artes sonoras? Simples. Junte os brasilienses do DFC com os paulistanos do Presto? e pronto, aí está o split. Reto, direto, ácido, sarcástico e extremamente brutal. Cuidado, a última música pode chegar enquanto você tenta acabar de abrir o encarte. É tudo rápido e urgente, como se o chão estivesse queimando os pés dos integrantes neste Inferno na Terra transformado em bolachinha. Dispensável dizer que encontramos todas aquelas influências dos anos 80, com guitarras arrastadas, não não são devagar, são arrastadas pelo peso que produzem, acompanhadas de baterias que explodem e apressam a banda até a próxima canção. Não há tempo para conversa. É o Inferno na Terra, produzido por duas bandas que fazem barulho no underground nacional e que, merecida e acertadamente lançaram esse split juntas. Indispensável!
Contatos:

www.myspace.com/dfc
www.myspace.com/paunasualontra

Por Deise Santos

B.U.S.H. – New American Century

outubro 1, 2008

B.U.S.H. – New American Century
(Pecúlio Discos/ 625 Trash – 2008 – CD)

22 minutos, 52 segundos e 52 centésimos. Esse é o tempo que você terá para assimilar o punk rock hardcorizado and roll (esse termo existe?) feito pelo quarteto. Mistura de influências que vêm dos 70’s e muito do que veio da Califórnia nos 80’s, com recheio de guitarras rockeiras, que às vezes são acompanhadas pela cozinha. No decorrer da audição você pode jurar que a banda é de punk rock pura e unicamente, mas de repente riffs te levam para o rock and roll e algumas quebradas na bateria te induzem a dizer: essa banda é de hardcore! Seja qual estilo for, uma coisa é certa: a banda tem uma sonoridade que cativa e um vocalista que dá o sangue em cada letra entoada. E por falar nas letras, elas têm consistência, algumas em português outras em inglês e até uma em espanhol. Mas não se preocupe, todas têm tradução, ou seja, banda consciente de que a mensagem tem que chegar a todos os cantos. São 14 sons + um bônus de 7 músicas do EP Buy us some heroin.

Contatos:
www.myspace.com/bushklan
bushklan@gmail.com

Por Deise Santos

Mundo no Kaos – Será esse o fim?

outubro 1, 2008

Mundo no Kaos – Será esse o fim?
(Demo – CDR – 2007)

Primeiro registro da banda de punk rock e hardcore da Baixada Fluminense, Mundo no Kaos. As letras falam de um cotidiano envolto em problemas sociais, a insatisfação com as autoridades e políticos. A influência de bandas como Cólera, DZK e Lacrau são claras e podem ser reconhecidas em músicas como “Quem é o Verdadeiro Ladrão?”, “Atormentados pela Violência” e “Pela nossa liberdade”. Essa última uma ótima música para ouvir no último volume e, quem sabe, até pogar na sala da sua casa.
A qualidade de gravação não é 100%. O som da caixa da bateria está meio abafado em algumas músicas, mas neste registro, que tem 13 sons, o que importa é divulgar o som até que saia um álbum de verdade. Som para ouvir com os amigos, naquele clima de festa e confraternização que o bom e velho punk rock provoca.
Contatos:
www.myspace.com/bandamundonokaos
lui_punk77@hotmail.com
rafaelmundonokaos@hotmail.com

Por Deise Santos

D.E.R. – Quando a esperança desaba

outubro 1, 2008

D.E.R. – Quando a esperança desaba
(Pecúlio Discos/ Karasu Killer/ Cospe Fogo/ Fuck it all Recs – 2008 – CD)

Pois é. Demorou mas saiu. Tudo bem que a resenha vai sair com alguns meses de atraso, mas o CD também demorou a sair. E o resultado foi o esperado mais o plus de ter toda a rapidez e agressividade sonora que essa turma consegue produzir com notas musicais tocadas na velocidade da luz ou além dela, registradas numa bolachinha. Quem pensa que a esperança desaba e que não é possível pogar ao som do grindcore executado por esses caras sob o risco de embaralhar as pernas, está muito enganado. Em algumas faixas, como em “Lucro e troca” e “A vitória e o fim”, o dono das baquetas Barata, resolve dar uma trégua, mas não por muito tempo, pra que a gente respire, porque no geral as baquetas mais parecem asas de beija-flor que a gente nem consegue ver direito de tão rápidas que são. Poesia? Que nada! Eles cantam o pessimismo, a desesperança, o desespero e a realidade dolorida e incolor que tem em cada ferida aberta na sociedade, sem rodeios, virtuosismo ou meias-palavras. É grindcore, simples e reto. E por falar nisso, que tal ter 16 músicas em pouco mais de 14 minutos? Isso é D.E.R.. Pra completar, o álbum traz um videoclip de “Empregando o capital” e um material gráfico que, de cara, traduz o conteúdo do álbum, a esperança desabou e com direito à trilha sonora.

Contatos:
www.myspace.com/derpunk

Por Deise Santos